Congresso Aumenta Em R$ 197,7 Milhões Valor De Obras No Judiciário.


Fonte: site Contas Abertas

21/01/2012
Congresso aumenta em R$ 197,7 milhões valor de obras no Judiciário
Dyelle Menezes
Do Contas Abertas

Em meio à polêmica sobre as movimentações financeiras de juízes e servidores do Judiciário e as indecisões sobre o futuro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Poder Judiciário vai “entrar em reforma”. Segundo o Orçamento Geral da União (OGU) sancionado pela presidente Dilma Rousseff ontem (20), R$ 709,5 milhões estão previstos para diversas obras nos diferentes órgãos que compõe o Judiciário. Do total, R$ 197,7 milhões foram acrescentados por emendas parlamentares na passagem do orçamento pelo Congresso Nacional. Trata-se de 208 projetos, dentre eles, 177 novas construções.
Acréscimo significativo já havia sido feito no próprio Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa). Antes da emendas parlamentares, o valor estabelecido para 2012 era de R$ 487,4 milhões, montante 50% maior do que o da Ploa de 2011, quando R$ 324,7 milhões foram orçados para as obras no Judiciário. Desconsiderando as cifras resultantes dos deputados federais, o montante orçado para 2012, em valores correntes, é o maior desde 2007 quando o Contas Abertas começou a realizar esse levantamento.
Consideradas as emendas parlamentares, quase 24,6% do total, o equivalente a R$ 174,5 milhões, foi previsto para a construção da sede do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região. A obra, que é realizada em Salvador, foi projetada pelo famoso arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé, e terá 25 mil metros quadrados. Outros R$ 38 milhões estão orçados para a modernização de instalações físicas da Justiça do Trabalho Nacional. Somando os dois tópicos com outras 57 obras, a justiça trabalhista é responsável por R$ 356,2 milhões do OGU de 2012, cerca de 50,2% do total.
O segundo empreendimento mais oneroso para a União com o Judiciário está em Brasília. A construção do edifício-sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região necessitará de R$ 50 milhões. O projeto, que é do Escritório de Arquitetura e Urbanismo Oscar Niemeyer, tem 169 mil metros quadrados divididos em quatro blocos. No total, a Justiça Federal vai contar com pouco mais de R$ 132,7 milhões para projetos imobiliários neste ano.
Mais modesta é a Justiça Eleitoral. Ao todo, em 2012, R$ 129,1 milhões estão previstos para 95 projetos. Entre eles 31 novos cartórios eleitorais. As obras vão desde Rorainópolis, no estado de Roraima, (R$ 905,6 mil) até Pinhalzinho, em Santa Catarina (R$ 364,8 mil). Mas a construção mais cara não será a de um cartório, mas a do edifício-sede do Tribunal Regional Eleitoral, avaliada em R$ 50 milhões, também na lista dos mais caros empreendimentos do Judiciário.
Mais R$ 14,3 milhões estão destinados para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Quase todo o montante, cerca de R$ 14 milhões, servirá para a Construção do Arquivo Permanente do TJDFT. Os outros R$ 300 mil devem colocar em pé o anexo II da 1ª Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal.
Já o Supremo Tribunal Federal pretende quase R$ 13,4 milhões na recuperação e modernização de suas instalações. O valor corresponde a mais de 39,4% do total de quase R$ 34 milhões que pretende investir em projetos imobiliários. Os outros gastos serão com a ampliação da garagem do Anexo II, edifício onde ficam os gabinetes dos ministros e a uma biblioteca com 90 mil volumes, entre outros.

Confira aqui todas as obras do Judiciário em 2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s